segunda-feira, 7 de maio de 2018

Um Deus que se importa contigo.

Esdras 1: 2. "Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor Deus do céu me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que é em Judá. 3. Quem há entre vós de todo o seu povo (seja seu Deus com ele) suba para Jerusalém, que é em Judá, e edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém. 4. E todo remanescente, seja qual for o lugar em que é peregrino, seja ajudado pelos homens desse lugar com prata, com ouro, com bens e com animais, afora a oferta voluntária para a casa de Deus, que está em Jerusalém". - Bíblia JFA Offline
Quando Deus age é assim. Não existe limite para sua bondade, graça e misericórdia. Muitos dirão: onde está o milagre? Não é esta a política dos persas? Ao contrário dos demais povos eles sempre deram uma certa liberdade as nações submetidas? Eu lhes direi: a hora e o  momento deste decreto foi escolhido por Deus. Quatrocentos anos depois Jesus  Cristo andava pelas ruas de Jerusalém já reconstruída e com status de capital da nação judaica. O retorno seria doloroso, assim como foi no êxodo do Egito, assim como está sendo em nossos dias após o holocausto nazista. Não importa as circunstâncias nosso Deus é Senhor da história e nunca deixa seu povo na mão.
Você está passando por lutas? Saiba que o Deus que levou o imperador Ciro a libertar  o seu povo é o mesmo hoje e sempre. Confie em Deus, entregue sua vida a seus cuidados e faça parte da grande família cristã.

domingo, 22 de abril de 2018

Neemias: Quando focar na missão é uma questão de vida e morte

Hoje aprendi diversas lições acerca do trabalho de Deus na EBD. O personagem central do nosso estudo foi Neemias. Homem de Deus encarregado da reconstrução dos muros de Jerusalém nos dias de Artaxerxes. 

Com Neemias aprendi que devemos manter o foco naquilo que Deus nos incumbiu de fazer. Os muros de Jerusalém era sua meta de trabalho. Estavam em ruínas e precisavam ser fechados. Aqui podemos estabelecer uma relação entre as condições dos muros e a nossa vida espiritual. Jamais podemos deixar brechas para o inimigo adentrar em nossas vidas. Se faz necessário fechá-lo.

O texto bíblico nos informa que por três vezes Sambalate, Tobias e Gesem procuraram atemorizar  o povo de Israel e Neemias para que parassem a obra de reconstrução dos muros de Jerusalém, mas, a cada uma das tentativas Neemias reagiu com força, determinação e sabedoria dada por Deus. Vejamos:

1ª Tentativa - Sambalate chama Neemias para uma conversa no Vale de Ono (ficava a 43 Km de Jerusalém). Era uma região hostil, neutra e por ser uma área de fronteira era por demais perigosa. 
Neemias 6: 3. E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco? - Bíblia JFA Offline
  • Para que tentar a Deus se metendo em aperto e obrigando-o a retirá-lo da enrascada?
  • Neemias preferiu sair com sua reputação arranhada (certamente levou o nome de covarde, medroso...) do que arranhar a reputação de Deus.

2ª Tentativa - Sambalate mandou uma carta aberta para ser lida em público acusando Neemias de conspiração contra o Imperador Artaxerxes, visto que, tinha arregimentado profetas para proclamá-lo rei dos Judeus. Cem anos antes Ageu e Zacarias suscitou entre os Judeus a profecia messiânica. Portanto, é sobre essa aspiração de Israel que Sambalate monta seu fake News.

Neemias 6: 8. Então mandei dizer-lhe: De tudo o que dizes, coisa nenhuma sucedeu, mas tu mesmo o inventas. - Bíblia JFA Offline
  • Para que dá ouvido a calúnias que partem de um coração maligno. Havia uma obra a ser feita. Aqui temos o agravamento da opressão e Neemias orar a Deus que o tinha arregimentado para a obra.
Neemias 6: 9. Pois todos eles nos procuravam atemorizar, dizendo: As suas mãos hão de largar a obra, e não se efetuará. Mas agora, ó Deus, fortalece as minhas mãos. - Bíblia JFA Offline
3. Tentativa - Neemias vai a casa do sacerdote Semaías que havia se "fechado". E lá se depara com essa proposta maligna.
Neemias 6: 10. Fui à casa de Semaías, filho de Delaías, filho de Meetabel, que estava em recolhimento; e disse ele: Ajuntemo-nos na casa de Deus, dentro do templo, e fechemos as suas portas, pois virão matar-te; sim, de noite virão matar-te. - Bíblia JFA Offline
Por conhecer as escrituras Neemias sabe que não pode entrar no templo, visto que, não era sacerdote.
Números 18: 7. Mas tu e teus filhos contigo cumprireis o vosso sacerdócio no tocante a tudo o que é do altar, e a tudo o que está dentro do véu; nisso servireis. Eu vos dou o sacerdócio como dádiva ministerial, e o estranho que se chegar será morto. - Bíblia JFA Offline
Neemias não queria repetir o erro do rei Uzias (2Crônicas 26. 16-21).
Neemias 6: 13. Eles o subornaram para me atemorizar, a fim de que eu assim fizesse, e pecasse, para que tivessem de que me infamar, e assim vituperassem. - Bíblia JFA Offline
Assim, chega a conclusão que tal profecia não era de Deus. Para sua tristeza percebe que o sacerdote havia sido subornado por Sambalate e seus aliados.

Lições:
  • Neemias se recusou a ser causa de escândalo em Israel. Deus o chamara para uma obra específica
  • Ele mesmo como governador sabia dos seus limites.
  • Um falso profeta é descoberto não pela profecia que se cumpre ou deixa de se cumprir, mas, se o que afirma contrária ou não os ensinos de Deus (Deuteronômio 13.1-5). Deus não se contradiz. Caso Neemias tivesse entrado no templo seria punido pela Lei divina.

Será que outro governador levaria adiante a política empreendida por Neemias?

A Bíblia é o nosso livro de regra, fé e prática. Revelações, sonhos, pregações, livros, profetas não devem contrariá-la. Devemos ter cuidado com pregações e pregadores que travestidos de uma autoridade que não possui ensinam heresias ao povo de Deus.

Neemias conclui o capítulo 6 vitorioso, mas, sentindo os golpes recebidos dos inimigos. Esse é o preço a pago por sua  fidelidade ao Senhor. Ao invés de um grito de VENCEMOS! Ora a Deus:
Neemias 6: 14. Lembra-te, meu Deus, de Tobias e de Sambalate, conforme estas suas obras, e também da profetisa Noadias, e dos demais profetas que procuravam atemorizar-me. - Bíblia JFA Offline
Os inimigos foram impactados com a conclusão da obra.
Neemias 6: 15. Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco do mês de elul, em cinquenta e dois dias. 16. Quando todos os nossos inimigos souberam disso, todos os povos que havia em redor de nós temeram, e abateram-se muito em seu próprio conceito; porque reconheceram que por intervenção de nosso Deus é que fizemos esta obra. - Bíblia JFA Offline
Contudo, continuaram tentando intimidá-lo por meio de cartas na vã tentativa de pará-lo
Neemias 6: 17. Além disso, naqueles dias o nobres de Judá enviaram muitas cartas a Tobias, e as cartas de Tobias vinham para eles. 18. Pois muitos em Judá estavam ligados a ele por juramento, por ser ele genro de Secanias, filho de Ará, e por haver seu filho Joanã casado com a filha de Mesulão, filho de Berequias. 19. Também as boas ações dele contavam perante mim, e as minhas palavras transmitiam a ele. Tobias, pois, escrevia cartas para me atemorizar. - Bíblia JFA Offline
Tobias fazia um papel duplamente maligno. De um lado procurava ser agradável aos judeus e por outro trabalhava como aliado de Sambalate e Gesem. As cartas destinadas a Neemias definitivamente não eram amistosas.

Contudo, no livro de Romanos temos a seguinte verdade:
Romanos 8: 37. Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou. - Bíblia JFA Offline
Neemias prosseguiu a obra colocando as portas da cidade, estabelecendo seguranças segundo o coração de Deus (Neemias 7.1-4), fazendo o registro da genealogia dos que voltaram da Babilônia com Zorobabel (Neemias 7.5-63) por uma questão de direito de propriedade e pureza racial, visto que, 400 anos depois chegaria o descendente de Davi, o Messias de Deus: Jesus Cristo.

Neemias concluiu parte do seu trabalho, pois Deus estava com ele.
"E enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo uma grande obra, de modo que não poderei descer. Por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco?" Neemias 6.3
Aprendemos com Neemias que: 
  • a obra de Deus exige de nós foco. Ela não pode ser feita relaxadamente  (Jeremias 48.10)
  • nunca devemos dá ouvido ou desanimar diante das calunias. Elas são fruto de um coração dominado por Satanás.
  • Deus é coerente com a sua palavra. Não devemos aceitar nada que venha contradizer o seu ensino. 
Aos amigos e irmãos de perto ou da distância apelo que leiam a Bíblia para apreender essa e outras lições da parte de Deus. 

Como é bom está no centro da vontade de Deus. Não importa as circunstancias a vitória é certa. Desejas também fazer pate desta família? Reconheça Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador e passe a desfrutar de uma nova vida em Cristo Jesus. 

quarta-feira, 28 de março de 2018

Quando Deus se interpõe aos planos de um tirano

"Porventura os deuses das nações puderam livrar, cada um a sua terra, das mãos do rei da Assíria? Que é feito dos deuses de Hamate e de Arpade? Que é feito dos deuses de Sefarvaim, Hena e Iva? Porventura livraram a Samaria da minha mão? Quais são eles, dentre todos os deuses das terras, que livraram a sua terra da minha mão, para que o Senhor livrasse a Jerusalém da minha mão?" (2 Reis 18:33-35)

Desafio. Essa é a palavra que melhor se enquadra para descrever a ousada atitude de Senaqueribe contra o Deus de Israel. Cada palavra foi escolhida a dedo afim de provocar maior impacto ou dano ao moral dos que defendiam Jerusalem e do seu próprio rei.

O argumento era perfeito. Quem me pode resistir? Tenho um histórico aterrador, nada conseguiu sobreviver aos meus exércitos, a minha vontade. Tudo até então tinha saído conforme o programado, contudo, o petulante Senaqueribe não tinha ideia de que em Israel havia verdadeiramente um Deus, não divindades fruto da imaginação humana, mas alguém real, eterno, criador de todas as coisas e protetor do seu povo.

Deve ser loucura lutar contra um sistema com pouca força tendo por base apenas a fé. Israel tinha opção e a usou. 

"E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte". (2 Coríntios 12:9,10)

A disposição de Paulo é a mesma que tomou conta do coração do rei Ezequias. Quando faltam as forças, quando nos sentimos impotentes, quando nada mais dá certo é hora de descansar em Deus. O terror do inimigo foi neutralizado pelo clamor a Deus,  pela busca de servos fiéis que não se intimidavam com o teatro de horrores dos assírio. 

A palavra profetica foi vigorosa:

"E Isaías lhes disse: Assim direis a vosso senhor: Assim diz o SENHOR: Não temas as palavras que ouviste, com as quais os servos do rei da Assíria me blasfemaram. Eis que porei nele um espírito, e ele ouvirá um rumor, e voltará para a sua terra; à espada o farei cair na sua terra". 2 Reis 19:6,7

Aqui temos a sentença divina antes mesmo que se movencem uma única palha para alterar a situação vigente. Um verdadeiro absurdo que só pelos olhos da fé é que alguém daria crédito a Isaías. Senaqueribe precisava entender que tratar com deuses imaginários não era o mesmo que tratar com Javé (2Reis 19.17-18). 

O resultado é diferente. A arrogância, a ira contra o Senhor e seu povo só agravará o tempero da sua propria destruição (2Reis 19.27-28). Toda sua bravata de nada serviria,  pois suas flechas malignas, seu veneno infernal não chegaria as portas da cidade (2Reis 19.32-34), o proprio Deus lutaria por seu povo. 

Nós versos 35-37 do mesmo capítulo temos a solução dada por Deus as pretensões assírias. 

"Sucedeu, pois, que naquela mesma noite saiu o anjo do Senhor, e feriu no arraial dos assírios a cento e oitenta e cinco mil deles; e, levantando-se pela manhã cedo, eis que todos eram cadáveres. Então Senaqueribe, rei da Assíria, partiu, e se foi, e voltou e ficou em Nínive. E sucedeu que, estando ele prostrado na casa de Nisroque, seu deus, Adrameleque e Sarezer, seus filhos, o feriram à espada; porém eles escaparam para a terra de Ararate; e Esar-Hadom, seu filho, reinou em seu lugar". (2 Reis 19:35-37)

Este texto é repleto de lições para nossas vidas.

1. Não devemos dá ouvido a voz do inimigo, nem muita atenção as circunstâncias adversas. Afinal, temos um Deus que tudo vê e ouve. "Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir". ( Isaías 59.1)

2. Que suas petições sejam em tudo conhecidas por Deus.  "Então Isaías, filho de Amós, mandou dizer a Ezequias: Assim diz o Senhor Deus de Israel: O que me pediste acerca de Senaqueribe, rei da Assíria, ouvi". (2 Reis 19:20)

3. Deus não têm negócio com tirano, portas vozes de tiranos, mercenários e estranhos ao seu concerto. Deus tem compromisso com seu povo e luta por quem lhes é fiel.

4. Não importa a força do adversário, sua experiência, seus argumentos ou recursos.  Ao teu lado sempre estará o braço de Deus. Ele e somente Ele é quem dá a última palavra.

Deus seja com todos os irmãos próximo é da distância.

segunda-feira, 19 de março de 2018



Visita Diaconal - Felipe. Hoje a noite visitamos o jovem Felipe na Policlínica do Alecrim. Felipe é filho do nosso irmão francimário. Ele está lutando contra uma infecção respiratória e precisa das nossas orações. Aos irmãos de perto e da distância pedimos as suas orações pelo pronto restabelecimento da sua saúde.

sábado, 17 de março de 2018

Visita diaconal - Irmã Edite



Nossa irmã encontra-se com algumas dificuldades de saúde e precisa das orações dos irmãos de perto e da distância. Não esqueçam do seu nome em seu momento de oração.

domingo, 11 de março de 2018

Missionário evangeliza tribo ocultista e constrói mais de 400 igrejas, no Quênia

Atualmente, 48% dos habitantes de Turkana, um distrito no noroeste do Quênia, se identificam como cristãos. No entanto, quando Benson, um evangelista da mesma tribo, obedeceu ao chamado de Deus há mais de 15 anos, apenas 2% era alcançado pelo Evangelho. As informações são do Projeto Joshua.
Benson nasceu com um problema em sua cabeça. Foi então quando um missionário conseguiu lhe ajudar obtendo uma operação e ensinou-lhe as coisas de Deus. Em uma visão, o Senhor lhe disse:
"Vai e prega minha Palavra". Em primeiro lugar, ele pensou que Deus estava chamando-o para evangelizar fora de Turkana, mas logo ele entendeu que estava sendo chamando para pregar ao seu próprio povo.
Benson não queria ser missionário e tentou negociar com Deus. "Eu o ajudarei a construir 100 igrejas. Depois disso, por favor, você me deixará curtir minha vida como os outros jovens", disse ele ao Senhor.
Mas os planos de Deus eram muito diferentes. Benson começou a preparar os poucos cristãos que estavam em sua localidade e com a ajuda do Deus que os chamou, conseguiram alcançar muitas pessoas.
Em 15 anos foram mais de 400 templos construídos. No entanto, o trabalho missionário em Turkana ainda não terminou. Então, eles continuam andando pela cidade, espalhando o Evangelho de Jesus.
Vale ressaltar que há dificuldades em Turkana, porque enfrentam escassez de alimentos, corrupção na política e níveis crescentes de perseguição religiosa por conta dos vizinhos muçjulmanos.

Fonte: Uniaonet

quinta-feira, 8 de março de 2018

A 'cidade do pecado' romana que acabou engolida pelo mar

quarta-feira, 7 de março de 2018

George passou 10 anos nas drogas, foi acolhido pela Cristolândia e hoje reencontra sua família

23/02/2018

George Barbalho tem 36 anos e chegou na Missao Batista Cristolândia Salvador (BA) em um estado deplorável. Vivendo nas ruas e usando todo tipo de droga que tivesse acesso durante um período de mais de dez anos, George passou uma noite inteira (mais uma vez) sendo espancado pela polícia e, cansado do sofrimento que enfrentava nas ruas, decidido a abandonar a vida do crime e da marginalidade, pediu por uma vaga na Cristolândia.


Após dar entrada na Cristolândia George só dava mais e mais motivos para emocionar toda a equipe. Depois de um mês de triagem na Missão Batista, George pôde, finalmente, reencontrar sua mãe, a qual não via há décadas, restabelecendo laços há tanto tempo rompidos. Com sua história impactante e uma superação progressiva, George tornou-se um exemplo claro daquilo que a Cristolândia representa enquanto agente de transformação de vidas por meio da ação do Espírito Santo na pregação do Evangelho.

*texto da equipe da Cristolândia Salvador

Fonte: Cristolandia

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

A fidelidade de Deus e a deslealdade dos homens

Isaías 43: 19-20. "Eis que faço uma coisa nova; agora está saindo à luz; porventura não a percebeis? eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo. Os animais do campo me honrarão, os chacais e os avestruzes; porque porei águas no deserto, e rios no ermo, para dar de beber ao meu povo, ao meu escolhido", - Bíblia JFA Offline

Deus a todo instante dá prova do seu amor aos seus filhos, mesmo quando estes lhes são desleal ou ingrato.

O Senhor se dispõe:

1. a orientá-los:
•    Iluminação;
•   Caminho no deserto.

2. a preservar sua vida:
• Água no deserto e rios no ermo.

Os animais que habitavam o deserto eram mais gratos e sensíveis a Deus que os homens. Eles glorificam ao Senhor por sua graça salvadora, contudo, Israel permanece insensível. Aprendemos uma lição aqui: a natureza é abençoada quando o povo de Deus reconhece seus erros e se voltam para o Senhor.

Nos versos 16-17, Deus demonstra o seu poder e relembra os livramentos dados a Israel.

A reação do povo escolhido é a pior possível:

✓Israel se cansou de Deus, não invocou a Deus (22).
✓Israel deixou de honrar a Deus por meio das ofertas (23-24).
✓Israel deu trabalho a Deus com seus pecados e cansou o Senhor com sua iniquidade (24b.).


Mesmo assim, o apelo ao arrependimento continua. O criador se propõe a entrar em juízo com seu povo para ouvir destes as razões do seu esfriamento espiritual.

25. Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro. 26. Procura lembrar-me; entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que te possas justificar! - Bíblia JFA Offline

Contudo, israel nao lhes dá resposta e recebe a sua justa sentença.

Isaías 43: 27. Teu primeiro pai pecou, e os teus intérpretes prevaricaram contra mim. 28. Pelo que profanei os príncipes do santuário; e entreguei Jacó ao anátema, e Israel ao opróbrio. - Bíblia JFA Offline

Aprendemos neste texto:

✓ a reconhecer o cuidado de Deus para com seus servos;
✓ a cultivar um coração humilde e quebrantado diante do Senhor, reconhecendo nossos erros e estando prontos para corrigí-los;
✓ que Deus permanece fiel, mesmo quando somos infiéis;
✓ que a sua justiça não tarda sobre a vida do servo desobediente.


Portanto, estejamos atentos ao direcionamento de Deus sobre a nossa vida ou comunidade. De nada adianta encher o peito com convicções de povo escolhido, raça eleita, povo predestinado se nos recusamos a ouvir a sua voz quando contrária os nossos interesses.

Não sejamos hipócritas, Deus não se deixa escarnecer.

"Portanto, como diz o Espírito Santo: Se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações, Como na provocação, no dia da tentação no deserto Onde vossos pais me tentaram, me provaram, E viram por quarenta anos as minhas obras. Por isso me indignei contra esta geração, E disse: Estes sempre erram em seu coração, E não conheceram os meus caminhos. Assim jurei na minha ira Que não entrarão no meu repouso”. Hebreus 7. 8-11

domingo, 11 de fevereiro de 2018

A vida eterna

“A vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”. (João 17. 3)

O presente texto faz parte da oração sacerdotal, na qual Jesus roga a Deus por se (vs. 1-5), por seus discípulos (vs. 6-19) e pelos que hão de crer (vs. 20-26). É um momento especial, visto que, antecede a sua paixão (cap. 18-19).
Cristo dá o conceito preciso sobre vida eterna.
  • Conheçam a ti, o único Deus verdadeiro;
  • E a Jesus Cristo, a quem enviaste.

Três verdades podemos retirar deste texto.
  1. vida eterna tem como ponto de partida o conhecimento de Deus.

 O conhecimento de Deus em João se refere a um relacionamento pessoal. Esse conhecimento é mediado por Jesus Cristo. A fé assume um lugar de destaque nessa relação, porém, ela não anula outros sentidos. Esse conhecimento nós leva a uma vida de amor e obediência ao nosso Deus. O conhecimento descrito em João se afasta um pouco do que pensavam os judeus: o homem não poderia ver Deus, exceto, no momento da morte. João apresenta Cristo como o próprio Deus, portanto, não é um conhecimento baseado numa revelação mística ou no êxtase, mas em um relacionamento pessoal intermediado por Jesus CristoNesse sentido a figura do Pai continua invisível aos olhos dos homens, porém, refletida em Cristo.
  1. A vida eterna requer um ato de fé.

Na carta de Paulo aos Efésios a fé assume papel essencial no processo de salvação. Ele afirma: “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie”. (Efésios 2:8-9)
O apóstolo deixa claro que a iniciativa é sempre de Deus (é pela graça). A fé neste caso é despertada pela ação do Espírito  de Deus (João 16.7-11) convencendo o homem do pecado, da justiça e do juízo. As obras apesar de não serem essências para a salvação humana é consequência da fé (Tiago 2. 16-18 Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. - Bíblia JFA Offline.), portanto, devem ser praticadas dentro deste entendimento.

A fé é o requisito básico para que o homem possa se aproximar de Deus. Sem ela o     pecador não poderá agradá-lo (Hebreus 11: 6. Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam. - Bíblia JFA Offline). Todo esforço humano para alcançar a vida eterna é inútil, visto que, a nossa justiça não passa de trapos de imundície diante de Deus (Isaías 64: 6. Pois todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como o vento, nos arrebatam. - Bíblia JFA Offline)
Portanto, é pela fé em Jesus Cristo que alcançamos a vida eterna

  1. A divindade de Cristo é exaltada.

A divindade de Cristo é aqui exposta de forma clara. Ele assume a condição de enviado de Deus o que coaduna com João 1.

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam”. João 1. 1-5

Nesses versos João tem a preocupação de anunciar a divindade de Cristo sem ser confundido com os inúmeros relatos de filhos de deuses presentes na mitologia grega ou da tradição judaica. A forma como João deixou claro aos seus leitores a natureza divina de Cristo vem impactando gerações através da história e certamente continuará pela eternidade.

Além do livro de João outros textos da bíblia apontam para essa mesma verdade: Cristo é Deus. O apostolo Paulo em Filipenses 2.10-11, cita Isaias 45. 22-23, onde fala que todo joelho se dobrarão em reconhecimento a sua divindade; João 19.37; Apocalipse 1.7, cita Zacarias 12.10, com referência a sua crucificação; João 5.21; 11. 38-44, deixa claro o poder que Jesus tinha de ressuscitar a si mesmo e aos mortos; Atos 5.31, nos declara que ele tem o ´poder de perdoar pecados; Colossenses 1.16-17, aponta que ele é criador do universo e no verso 17 a sua pré-existência como vemos em Provérbios 8. 22-31 quanto o livro trata da sabedoria; João 8.58, ele é eterno; Mateus 18.20, 28.20, onipresente; Mateus 16. 21, onisciente; João 11. 38-44, onipotente.)
   
O reconhecimento desta verdade provoca uma onda de mudança naquele que se submete ao seu senhorio. Esses são chamados:

  • a ter prazer no cultivo de uma vida intima com Deus através do estudo da sua palavra e oração continuas – João 5.39; Tiago 5.16;
  • a amar ao próximo como cristo nos amou – João 15.12;
  • a ter uma vida de fé e dependência de Deus – 2 Co 5.7;
  • a testemunhar positivamente do seu mestre – Ser sal e luz em um mundo sem sabor e mergulhado em trevas – Mateus 5. 13-16;
  • a desenvolverem o fruto do Espírito – Amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio - Gálatas 5.22-23;
  • a ser santo, ou seja, ter uma vida semelhante a do mestre – Mateus 5.48;
  • a viver entre os homens integrados a sua comunidade, esmerando-se por ela de forma a contribuir para seu desenvolvimento com paz e justiça social – João 17, 8-20.

Certamente muitas outras coisas características de um verdadeiro cristão poderiam ser listadas, contudo, essas são suficientes.

Para os irmãos do primeiro século Reconhecer Deus como único era para época uma prova de fé e convicção doutrinária. 

Tudo mais que cercavam os cristãos estavam manchados pelo politeísmo, Nunca faltaram relatos de curas, conquistas militares e acertos nas mais diferentes culturas que não estivessem relacionadas aos deuses protetores ou a seus antepassados.  
No Antigo Testamento o rei Senaqueribe deixa claro que suas conquistas se deviam a providência divina (deus Asur, deus da lua, deus do sol, deus do clima, deusa do amor; deus da guerra etc.) e esperteza com que comandava seus exércitos. Em todo momento demonstra que seu deus protetor era superior a todos os deuses dos povos conquistados e em especial ao de Judá (2Reis 18.25,33-35). No Novo Testamento, ainda no primeiro século da era cristã, o apostolo Paulo evangeliza os atenienses  tendo por base a religiosidade idolatra daquela cidade (Atos 17. 22-23)

Se reconhecer Deus como único era um desafio, crer em Jesus como enviado de Deus era está sujeito à perseguição. 

O livro de Atos fala sobre a primeira perseguição que os cristãos sofreram em Jerusalém (8.1-3). Na época Saulo era um dos perseguidores da igreja do Senhor. Contudo, após sua conversão (Atos 9) se tornou um grande missionário entre os gentios é não somente ele, mas também diversos anônimos que fugindo dos inimigos da fé espalharam por todo império romano a mensagem de vida eterna (Atos 11. 19-26). A graça de Deus estava com eles (Atos 11.21) e muitos se convertiam ao ouvi as novas do evangelho. 

Hoje como no passado a igreja do Senhor é perseguida, visto que, (... "todas as pessoas que almejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidas". 2Timóteo 3.12). O apóstolo João demonstra a razão para tal:
"Se fôsseis do mundo, ele vos amaria como se pertencêsseis a ele. Entretanto, não sois propriedade do mundo; mas Eu vos escolhi e vos libertei do mundo; por essa razão, o mundo vos odeia". João 15.19
Servos do Deus vivo, sei que no momento em que escrevo essas palavras muitos de vocês padecem perseguições pelo mundo. Alguns até, estão sendo mortos pelo ódio irracional daqueles que detestam a igreja do Senhor.  Esses como os primeiros mártires da cristandade são oferecidos a Deus como oferta de fé.  Saiba amados que Deus honra o vosso sacrifício e no tempo determinado cobrará vosso sangue das mãos dos opressores. Queridos não tenham dúvidas do amor de Deus por cada um de vós. Sede firmes e constante, sempre abundante na obra do Senhor (1Co 15.58), visto que, somente Dele vem o consolo e a vitória sobre o mal.

Portanto, vida eterna pressupõe conhecimento pessoal de Deus mediado por Cristo, fé na existência de um Deus único e na divindade de seu filho Jesus Cristo.

E você meu amigo de perto e da distância que acaba de lê essa reflexão o que lhes falta para aceitar Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador? Aceite a Cristo e ainda hoje comece a desfrutar das bênçãos celestiais que começam agora é será consumada na segunda vinda de Cristo.

Deus abençoe a todos.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

SEMELHANÇA COM CRISTO

No livro “Discípulo Radical”, John Stott, registra seu último sermão, cujo título é “Semelhança com Cristo”. Na ocasião ele está despedindo-se do profícuo ministério desenvolvido durante tantas décadas, como pastor, professor, evangelista e escritor. Assim, ele inicia sua fala com uma interrogação que a pesar de ter sido feita a tantos anos ainda nos faz pensar e, nos incomoda. A pergunta é: “O que vem depois de nos convertermos?” 
.
 Penso ser de extrema relevância que como discípulos de Jesus, de hoje, também nos inquietemos com a mesma interrogação que sempre incomodava e ao mesmo tempo encorajava a John Stott, desde sua juventude. Após muita introspecção e reflexão o reverendo Stott, chega a seguinte conclusão: “...Semelhança com Cristo é a vontade de Deus para o povo de Deus”. Mas como nos tornarmos semelhantes ao nosso salvador? Stott diz: “ Se afirmamos ser cristãos, devemos ser como Cristo”. Mas se ainda não vivemos o evento final, quando seremos transformados e nos tornaremos a humanidade perfeita, a questão é: Como sermos como Cristo agora? Stott, responde:
.
 DEVEMOS SER COMO CRISTO EM SUA ENCARNAÇÃO:

Esta afirmação do reverendo Stott, me levou a escrever um capítulo em meu mais recente livro “FÉ ENCARNADA: Por uma espiritualidade genuinamente integral” com o título: “A Encarnação de Cristo como Paradigma da Missão”. 

Assim, comento: 

Pensando nisso, caminho na direção de que uma igreja que deseja ser imitadora de Cristo, indubitavelmente, precisará viver uma Fé encarnacional, isto é, ela sem deixar de ser igreja, sem perder a sua essência, sem abrir mão de seus valores e princípios, precisa assumir o seu papel no mundo. Uma igreja que seja intramundana. Que entenda que não está no mundo por acaso, mas com objetivos traçados e definidos por Deus. Que de fato se encarne na realidade humana com todas as suas demandas, contradições e etc. Uma igreja que seja ao mesmo tempo espiritual, mas, também, carnal, no sentido de humana. (OLIVEIRA, 2017:33)
.
 DEVEMOS SER COMO CRISTO EM SEU SERVIÇO:

Stott comenta que “não devemos considerar nenhuma tarefa simples ou humilhante demais”. Neste ponto ele faz uma exposição de Jo 13.14-15, quando Jesus  cingiu-se com uma toalha, tomou uma bacia com água e lavou os pés de cada um dos discípulos. Chamo isto de Pedagogia da Bacia!
.

 DEVEMOS SER COMO CRISTO EM SEU AMOR:

Para Stott todo o nosso comportamento deve ser balizado pelo amor. Amor de Cristo não se restringiu a um belo sentimento pelo próximo. Não é o amor pintado em quadros, ou mesmo, expressado por filósofos e poetas. Ao  citar Efésios 5.2 o reverendo Stott de que o amor de Cristo foi sacrificial. Portanto amor é mais do que sentimento é prática. Lembremo-nos que “Amar exige sacrifício”.
.
 DEVEMOS SER COMO CRISTO EM SUA LONGANIMIDADE:

Aqui neste ponto o autor afirma que o discípulo de Jesus deve ser longânimo. Para isso, algumas vezes teremos que suportar o sofrimento sem pagar o mal com o mal. É interessante pensar, que ser longânimo não implica em abrir mão do princípio da justiça do Reino de Deus. Pensando nisso, compartilho, uma citação do livro “Fe Encarnada: por uma espiritualidade genuinamente integral, onde no cap. 3 cujo título é: “A Relevância de Tiago para o Século XXI”,  saliento:

Tiago foi líder da igreja em Jerusalém no primeiro século. Irmão de Jesus, ele tornou-se um proeminente pregador. Liderou o importante Concílio da cidade registrado em Atos dos Apóstolos cap. 15. Seus ouvintes o chamavam de Tiago, o justo, por ser alguém de caráter ilibado e, sobretudo, por de forma veemente condenar a opressão, a injustiça, e a violência praticadas contra os menos favorecidos. (OLIVEIRA, 2017, P. 39)
.
 DEVEMOS SER COMO CRISTO EM SUA MISSÃO:

Aqui o autor comenta Jo 17.18; 20.21; A oração de Jesus ao Pai pelos seus discípulos reserva-lhes uma missão. Neste sentido ele diz: “Em que sentido? As palavras-chave são “enviei ao mundo”. Isto e, como Cristo teve de entrar em nosso mundo, nós também, precisamos entrar no mundo de outras pessoas.” (STOTT, 2011, P.28) . Stott conclui dizendo que “toda missão autêntica é encarnacional”

 Enfim, Stott, conclui o capítulo registrando 3 consequências práticas de suas considerações: 1ª O sofrimento, algumas vezes, pode ser parte do processo de Deus para nos fazer como Cristo; 2ª Nossa evangelização as vezes é fraca porque não nos parecemos com o Cristo que proclamamos; 3º O Espírito Santo é o único capaz de nos capacitar e empoderar para cumprirmos o propósito de Deus.
.
 Deus nos ajude!
............................
Pr. Valtenci Oliveira

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Busque a Deus

Nas lutas do dia a dia é comum nos sentirmos fracos e debilitados, contudo, ao servo de Deus é prometida uma renovação das forças em meio ao caos.

"Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento. Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços certamente cairão; Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão".  Isaías 40:28-31
O que você está esperando? Busque a Deus, busque a vida. Só Ele tem a resposta certa para as tuas necessidades, só Ele pode salvar a tua alma da Ira Futura.

Renovar as forças em tempo de aflição e algo positivo, contudo, temporário. Novas angústias poderão sobrevir sobre qualquer alma, mas aquele que entrega a seu vida ao Senhor e confia nele, esse terá a segurança eterna.

As circunstâncias da vida por mais desfavoráveis que sejam não afetarão o seu ser, pois a sua confiança e o seu coração repousam no Senhor.

Busque a Deus, busque sua palavra com um coração arrependido e cheio de fé e Ele te acolherá.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Quando pensei que estava só

Quando pensei que estava só os passaros me deram bom dia, as ondas tocaram os meus pés, o sol brilhou sobre a minha cabeça, o vento me abraçou e a vida pulou no meu peito.

Quando pensei que estava só recebi bom dia do meu vizinho, um estranho apertou a minha mão desejando felicidade, uma moça me presenteou com seu sorriso e a vida pulou no meu peito.

Quando pensei que estava só ouvi um  canto alegre, um grito de satisfação, uma benção de um pai para seu filho, um beijo da mulher amada em seu esposo que partia para o trabalho.

Quando pensei que estava só uma oração se fez ouvi, um choro profundo, um lamento, uma dor comovente, um homem moribundo que se despedia deste mundo se fez sentir.

Quando pensei que estava só percebi uma agitação ao meu redor, o corre-corre do dia, as bandeiras partidárias, as ideologias, a paixão de olhos vermelho, a convicção por qualquer coisa, a palavra de ordem, o desaforo, a agressividade gratuita.

Foi então que compreendi que não estava só, que todas as sensações, paixões, dor e tudo mais era comum ao meu ser, a minha humanidade. Foi aí que me sentir parte de um todo, influenciando e sendo influenciado, vivendo e morrendo como qualquer mortal.

Não. Definitivamente não estou só. Sou único em personalidade, em traços físicos, mas compartilho de um todo e sou amado e cuidado pelo criador do universo.

Jerônimo Viana.
30.01.2018